domingo, 10 de junho de 2012

A crise de 1929



Olá pessoal!! 
partir de hoje começaremos a refletir e a procurar entender alguns acontecimentos históricos que deveriam ter ensinado a humanidade a tomar cuidados para não repetir os mesmos erros do passado. Você já ouviu que um os motivos para estudarmos história, seria para não cometermos os erros do passado? pois é!!! 
Hoje ao ligar a TV ou ler um jornal, você fica sabendo que o mundo vive uma crise econômica, e que as Bolsas de valores despencam, se recuperam e voltam a despencar... mas, isto já aconteceu e não num passado tão distante, e foi bem grave,  
a Crise de 1929.  O que os seres humanos aprenderam com ela? parece que não muito, não é? pois se repetiram em 2008 nos Estados Unidos e ainda a Europa tenta se levantar da última.
Neste trabalho estudaremos a Crise de 29, analisaremos os acontecimentos através dos textos, vídeos e charges e realizaremos atividades para aprofundarmos os conhecimentos. Lembre-se: acesse os hiperlinks para saber mais. Bom trabalho.


 Para começar, preste bem atenção nesta charge e após analise-a. 
Dica tenha um bloco de anotações e registre
 suas reflexões (respostas e/ou comentários).


Analise esta charge e poste comentários respondendo as seguintes questões:
1- Após as crises econômicas os países, ou as pessoas, reveem seus conceitos?
2 - As pessoas estão mais preocupadas em ser do que ter?
3 - O que mais esta charge mostra?
fig. 01




A crise de 1929

Você já ouviu falar na Grande Depressão?   


Ela foi uma grave crise econômica que quebrou a Bolsa de Valores de Nova York , jogando milhares de norte-americanos na miséria da noite para o dia e afetando a economia mundial e obviamente também a brasileira.





Vamos compreender o processo!!??

O Período após Primeira Guerra Mundial foi marcado pela reconstrução da Europa e pela ascensão econômica dos Estados Unidos da América.  fig.03 para os norte-americanos parecia
                                                                                                        que não havia problemas, tudo estava bem.


Os norte-americanos nos anos entre 1920 e 1929 passaram a viver  o “American way of life” (o Modo de vida americano) motivado por um crescimento econômico vertiginoso  alavancado pelas indústrias do aço, de comida enlatada, do petróleo, do carvão, de máquinas... os empresário norte-americanos estavam entusiasmados e procurando ampliar os lucros, lançaram ações de suas empresas na Bolsa de Valores.
E, enquanto isto, como você pensa que viviam as demais pessoas?
Assista a este vídeos para você ter uma visão dos que foi os "Loucos anos 20" do modo de vida americano: 
disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=UdKSPPtNf_U&feature=player_embedded acessado em 04/06/2012
  • O que você percebeu neste vídeo, com relação a vida norte-americana? Elabore um comentário sobre as preocupações das pessoas retratadas no vídeo.(poste a sua resposta como comentário)
Retornando ao tema: Você sabe o que é uma bolsa de Valores?
 Saiba mais sobre Bolsa de Valores  clicando na imagem   Entusiasmados com os lucros fáceis vindos da bolsa, muitas pessoas passaram a investir em ações. Tornou-se tão comum que até engraxates aplicavam nesse mercado.
As indústrias não paravam de produzir, sempre criando novos bens de consumo, mantendo um ritmo frenético de produção, que vinha desde o período da guerra, já que os Estados Unidos forneciam para a Tríplice Entente alimentos, armas...e quando o conflito na Europa acabou eles ajudaram na reconstrução da mesma, porém os europeus voltaram produzir o que necessitavam, não precisando dos produtos norte-americanos.
E os americanos continuaram produzindo em grande quantidade? Sim
Em 1920,vivia-se o "Grande Boom" americano, havia um sentimento de grande prosperidade pairando sobre os EUA, alimentado pela valorização das ações. Surgiram novas indústrias, o setor agrícola expandia, as pessoas continuavam investindo nas ações que os empresário colocavam na Bolsa de Valores. Porém, enquanto a produção aumentava, o consumo não acompanhou o crescimento produtivo, pois o poder aquisitivo da população não crescia ( capacidades de compra), criando-se um grande estoque de produtos, e não tendo para quem vender - nem para outros países - muitas empresas faliram.
O governo usava a política da livre iniciativa, ou de Livre Mercado, não controlando este setor (acesse o link  e descubra o que   Adam Smith falava sobre esta política) . Bom, você pode imaginar... os empresários usaram e abusaram desmedidamente deste princípio e os governantes não se metiam e nem perceberam a tempo o que realmente estava acontecendo no setor econômico de sua nação.
A Quinta-feira Negra
O dia 24 de outubro marcou o crack, ou a quebra na bolsa de valores, foi o dia em que o valor da ações negociadas em Nova York, despencou, as ações foram oferecidas e não houve compradores, e você lembra da Lei da Oferta e da Procura, ou Lei de Mercado?
Pois é, quando há mais produtos oferecidos do que compradores, os preços despencam... foi o que ocorreu com as ações de diversas empresas. Na prática, o que estamos falando é que elas acabaram falindo porque não tinham valor e, por consequência, milhões de trabalhadores perderam seus empregos.
O pânico foi geral, milhares de investidores queriam saber o que estava acontecendo. Algumas pessoas foram dormir no dia 23 de outubro de 1929 riquíssimas e no dia 24, perceberam que estavam na miséria, juntamente com uma grande parcela da população norte-americana. 
Um exemplo da situação de milhões de famílias americanas, jogadas na miséria pela crise
imagem 01 Muitos empresários não aguentaram a pressão e cometeram suicídio. Os anos que  se seguiram, foram chamados como a "A Grande Depressão".
O comércio retraiu, os fazendeiros com grandes estoques, contraiam empréstimos e depois perdiam suas terras, os empresários eram obrigados a diminuir a produção e por conseguinte, demitir funcionários aumentando vertiginosamente o número de desempregados, que acabavam não tendo poder de compra, o que obrigava os empresários a demitir mais ... Entendeu?, ou seja, um circulo vicioso, que acabou fechando várias indústrias. A crise no mundo A crise não ficou somente nos EUA, pois uma das primeiras medidas adotadas foi repatriar capital, ou seja, trazer para os Estados Unidos os dólares investidos em outros países, como Inglaterra, Alemanha, França..., o que também motivou uma quebra nas bolsas desses e de outros países, como o Brasil, que ainda teve outro prejuízo, pois os norte-americanos eram os maiores compradores de café, produzidos em São Paulo. Para você ter uma ideia 84% das exportações brasileiras desse produto era para os Estados Unidos, França, Itália, Holanda e Alemanha.  
O café brasileiro no dia 29 de outubro de 1929 despencou e chegou a zero a sua cotação. Um grande problema, já que este era o produto mais exportado pelo país. E os cafeicultores? pois é, não perderam tempo,  pressionaram o governo e o fizeram comprar o estoque, que acabou sendo queimado, para tentar valorizar o produto.
Para saber mais sobre a crise você pode assistir a estas duas vídeo-aulas:clique nas imagens abaixo
          e      
No segundo vídeo fala sobre o New Deal. O que foi isto? O New Deal 
Então, vamos relembrar?
O New Deal foi um acordo, ou Novo Acordo, implantado pelo presidente Roosevelt (Franklin Delano Roosevelt 1933-1945), que continha uma série de medidas econômicas para garantir emprego aos trabalhadores. Este acordo teve como inspiração a ideologia de John Keynes que percebeu a necessidade da intervenção do Estado na economia.
Basicamente o acordo previa as seguintes medidas
  • " Concessão de empréstimos aos fazendeiros arruinados para que pagassem as suas dívidas e reordenassem a produção;
  •  Controle da produção visando à manutenção dos preços dos produtos;
  •  Fixação dos preços de produtos básicos, como carvão, petróleo, cereais etc.
  •  Realização de diversas obras públicas, para a criação de novos empregos, visando os milhões de desempregados.
  •  Aumento do salário dos empregados;
  •  Criação de um salário-desemprego para aliviar a situação da miséria dos desempregados;
  •  Jornada de trabalho de 8 horas;
  •  Legalização dos sindicatos;
  •  Erradicação do trabalho infantil;
  •  Erradicação da previdência social;" (COTRIM, 2005)
Essas medidas foram paliativas, visto que não acabaram com a crise, porém conseguiu trazer estabilidade.A economia norte-americana só se estabeleceu com a Segunda Guerra Mundial. Vamos exercitar um pouco: Realize as atividades: Primeiramente você resolve o Quis, lembrando de marcar somente uma resposta. Após faça as palavras cruzadas que  também estão ligadas ao tema estudado. Textos complementares
  
Há outros textos do Ranier que vocês podem ler. Acesse <http://www.brasilescola.com/historiag/crise29.htm> <http://www.brasilescola.com/historiag/new-deal.htm> Você também pode assistir a este vídeo:
 disponível em <http://www.youtube.com/watch?v=5Aj-vxLvfbw>acessado em 05/06/2012.
Agora como bons estudantes de história e historiadores, vamos trabalhar. Pesquise e poste neste blog o trabalho sobre as consequência da crise no restante do mundo.  Trabalho será em grupo. Observação: Os temas-grupos serão os seguintes: Grupo 1 sobre o New Deal,  Grupo 2 a Crise de 1929 e a ascensão dos  Regimes Totalitários;  Grupo 3 os reflexos da crise no Brasil; Grupo 4 Crise econômica norte-americana de 2008 Grupo 5 a Crise econômica na Europa 2011.  Obs.:O trabalho deverá ser apresentado em slides e/ou vídeos criados por vocês, também vocês poderão criar um texto sobre os temas-grupos e  postá-lo no blog . Dicas de fontes para pesquisa:
COTRIN, Gilberto. História Global – Brasil e Geral – volume único – 8. ed. – São Paulo : Saraiva, 2005.
GRAZIER, Bernard. A Crise de 1929. Trad. Julia da Rosa Simões.L&amp;PM Pocket. 2009.
<http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?id=793520>
Por Tarcísio da Silva
Fontes bibliográficas e webgráficas
CACERES,  Florival. História Geral. 4ª edição. Moderna. São Paulo. 1996
COTRIN, Gilberto. História Global – Brasil e Geral – volume único – 8. ed. – São Paulo : Saraiva, 2005.
FIGUEIRA, Divalte Garcia. História, Novo Ensino Médio. 2ª edição. Editora Ática. São Paulo.2003.
GRAZIER, Bernard. A Crise de 1929. Trad. Julia da Rosa Simões.L&amp;PM Pocket.Porto Alegre. 2009.
PETTA  Nicolina Luiza de; OJEDA, Eduardo Aparício Baez. História:uma abordagem integrada.Volume Único. Moderna, São Paulo.2003.
SCHIMIDT, Mario Furley. Nova História Crítica.9º ano. Nova Geração. São Paulo, 1999.
SOUSA, Rainer. Crise de 1929, Disponível em:
_____________, o New Deal. Disponível em:
Imagens e figuras:
fig. 01  <http://3.bp.blogspot.com/_ecs_UN-xnGU/SS2BeJK3wfI/AAAAAAAAAGM/C9Gzx3ByKYs/s400/charge+2.jpg> acessado em 05/06/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário